NarrativasRevisadoSem signo

Um conto dela

Eu não sabia que era tão ruim e que eu tinha que fazer uma escolha. Ainda tenho dúvidas. Você me iniciou? “O que aprendi em todo esse processo?” Que a dor de saber que fui ferida pode ser pior do que senti-la de fato? Todas as vezes que você tira todos eles do seu caminho, sou eu que estou deixando de existir e ter um segundo de felicidade.

No entanto, se essa for a minha programação, compreendo que… esse amor é inalcançável, pois é o que me apetece. É o meu porto seguro. É a minha pior perda. É o nublar da minha felicidade idealizada, do me alcance pleno.

Eu me sento no princípio. Tenho as minhas asas. Elas batem. E as correntes que me prendem… são você. Se for entrar nesse quarto, por favor, tinja suas mãos de talco e farinha. Agora consegue ver o que eu fiz para você. Se desejar mesmo entrar, vai ter coisas atrás para deixar.

Eu não permito que seus amigos entrem também. De vampiros e falta de plenitude me bastou você. Há quantos anos eu te conheço? Cinco? Você me conhece inteira. Mas nunca é da mesma forma. Cada vez mais conheço um pedacinho da sua sombra.

As influências nunca são as mesmas. Nós estamos nesse quarto tom de leite. O sol docemente invade esse espaço, e eu sei que agora você tem uma fissura de luz na sua alma que não te permite mais suportar a tamanha vergonha que viveu nos seus tempos escuros.

Mas então eu olho para as minhas mãos. Elas estão borradas em vermelho-sangue. E imediatamente eu sei que é mais uma das suas mentiras criando vida e nos destruindo como um câncer. Não sei mais quantos anos temos pela frente, mas você precisa me convencer a ficar. Precisa me convencer a ficar.

Todos esses anos não fui eu que ganhei a luz, mas foi você que se permitiu viver de novo por linhas certas. Eu lhe garanto isso.

Olhe as fotos do meu rosto. Eu suguei o seu mal e o trouxe para mim. Talvez eu tenha salvado você. Talvez eu tenha amado você.

Nos seus quarenta e poucos, quero que me aponte quem o fez, para devolver-lhe a missão.

Pois não sei ainda se serei capaz de completá-la ou se já a dou por completa, então.

Vamos brilhar como um diamante. Até isso tudo acabar de novo e recomeçar como sempre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar