RevisadoSem signo

Deixa eu apresentar o mundo off-line

Vem aqui. Me dá um pouco a sua mão que eu quero lhe mostrar uma coisa. Relaxa. Não precisa ter medo, porque você não vai passar por nada ruim, mas antes de qualquer coisa, me dá o celular. Rapidinho. Prometo que não vou roubar, não. Só quero lhe mostrar que quando as coisas são mais reais a gente acaba gostando mais. Sério. É divertido ter tudo na palma da nossa mão sem nos esforçarmos, mas sabe o que acontece? A gente acaba ficando também com o mau costume do mundo off-line, e na hora a gente fica um pouco sem saber como agir falando que a vida e os outros que são os culpados.

Sai um pouco disso. Olha mais pras coisas que estão do seu lado. Tem muito aprendizado que você pode ainda não ter notado. Sabe, às vezes eu acho que a gente poderia ter escutado mais os nossos pais, porque eles podem até ser chatos, mas eles sempre sabem o que estão dizendo. Eles não nasceram na gente, mas parece que conhecem muito mais o que a gente tem por dentro, e mesmo que eles também estejam apegados a essa coisa de tecnologia, bem, eles sabem que pro nosso bem tudo que é exagerado vem para causar algum estrago.

Eles falam pra gente: “Melhor quando era no passado que não tinha nada dessas coisas e as pessoas se olhavam.” Mas também não tinha as melhorias de hoje em dia. Mas enfim… Ok. Vamos considerar que os contatos precisam mesmo ser resgatados.

Nada de mau viver um pouquinho aqui e um pouquinho ali. Uma hora a gente escolher viver no virtual, e depois a gente vive no contato, mas nunca se prendendo a uma coisa só. No mundo off-line, você pode aprender a colocar em prática, coisa que você não vai fazer se estiver apenas focando numa tela de celular. E experimentar é uma das melhores sensações que a gente pode ter, pois é sinal de que estamos vivos e não apenas existindo como zumbis. Você pode falar algo contra isso, mas acho que no final você vai entender quando passar a praticar o que estou a lhe dizer. É melhor, e sempre será melhor viver. Mas cabe a você escolher como é que vai ser.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar