RevisadoSem signo

Você quer amar ou ser amada?

“Os dois, Guru Astral! Que ideia!” Não me trata assim. Eu gosto tanto de você para você falar assim comigo! Mas eu quero agora colocar a batata quente na sua mão. Se você tivesse que escolher, o que você realmente escolheria? Espera, eu acho que eu sei. Eu acho que você escolheria ser amada, mas eu posso lhe apresentar um pouco dos dois cenários antes de você escolher definitivamente? Eu posso. Tudo bem, então vem comigo que eu tenho muita coisa para falar. “Mas porque você está me pedindo para escolher, Guru Astral? Isso pode acontecer na minha vida?” Nós nunca vamos saber, mas caso aconteça é sempre bom saber a resposta, né? Se adiantar um pouco nunca é demais. Enfim.

Ser amado é muito bom. Mesmo que você não ame na mesma intensidade a outra pessoa, realmente o sentimento de amor é bom em qualquer ocasião, mas já pensou em ser amada como um gesto de egoísmo? Tipo, as pessoas amarem você, mas você ser incapaz de corresponder? Você está recebendo mais e mais, mas acaba ficando até sem reação de tanto sentimento com que você está lidando. Os primeiros dias seriam bons, mas logo poderiam incomodar, pois você iria sentir que seu coração é um deserto vazio. Como se você fosse insensível, e isso te faria questionar um tanto a própria existência. Complicado, não? Não é tão fácil quanto parece, pois o ser humano de uma certa maneira foi feito para amar.

Mas e caso você escolhesse o contrário? Se você escolhesse apenas o amor? Bem, o amor sem ser correspondido, que muitas guruzinhas e guruzinhos já conhecem, só que dessa vez sem qualquer expectativa de que alguém corresponda. Você continuaria amando? Você abriria mão do seu ego e da sua dependência em ser amada de volta para amar alguém que de repente não retribua nada desse amor?

Onde eu quero chegar com esse papo todo? Bem, todos nós passaremos por essas duas situações em alguma época da nossa vida, e quando passarmos por ela, temos que analisar para saber os próximos passos, o que estamos dispostos a fazer para poder nos tornar a pessoa que somos ou então ao menos conseguirmos nos transformar. O texto de hoje é mais reflexivo, admito, mas é bom para causar uma comoção aí dentro. Será que estamos amando sem o outro nos amar, ou não estamos amando mas recebendo o amor entregue do outro?

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar