RevisadoSem signo

Falando de paixão pro crush

Vamos falar de paixão hoje. HIHIHIHIHHIHI.

Eu, como eu sempre, tive um coração fraco para as paixões. Só neste ano eu devo ter me apaixonado umas seis ou sete vezes. É sério. As pessoas que me acompanham costumam dizer que não conseguem levar a sério quando eu gosto de alguém, porque sabem que daqui a dois meses alguém novo vai estar nos meus planos. Eu juro que não faço por descaso, sei lá… Eu sempre acho que vai dar certo, mas dá um problema e eu saio. Enfim. Eu gosto da sensação que me dá. Se apaixonar é muito bom, é renovação.

Eu tive pessoas que me marcaram muito na minha vida. Tive um relacionamento intenso de seis anos, onde a pessoa… pelo amor de Deus, era sacana. Mas eu amei de verdade, então toda a coisa ruim eu tenho fé que ainda vai se transmutar. Depois vieram pessoas que não queriam nada assim comigo, mas por quem eu fiquei alucinando. Ainda bem que passou. Vieram também coisas que eu preferi abolir. É engraçado como… quando seu corpo é violado, você perde um pouco a noção das coisas. Eu acho que acabei indo por esse caminho e fiquei. Eu me tornei uma coisa que eu sempre desconheci, mas que eu quis e… eu fiz. Até você aparecer. Eu lhe falei isso, né? Você me foi um divisor de águas essencial, e sempre vou te agradecer por isso.

O que eu senti por você foi tranquilo. Na verdade, eu não fiquei com empolgação quando você apareceu. Eu senti um lance que nunca sentira antes. Não é que eu não tivesse desejado transar com você ou ficar com você, mas tava bom do jeito que tava. Até o silêncio era algo muito bom. Se isso me surpreendeu, me fez suspirar? Hum, não. Na verdade, a minha costumeira ansiedade em apressar as coisas nem sequer deu as caras. E foi muito bom. Foi mesmo. Eu entendi que a questão era bem profunda quando houve a primeira noite no carro e eu vi todas as encarnações em que você estava comigo, então você não era qualquer pessoa. Foi intenso. Eu continuo vendo, tendo visões, mas pelo menos eu sei que você vai ser feliz em um futuro próximo.

O que eu sinto de você é que as pessoas acabam se apaixonando por você, mas você não tem muito o “dom” de corresponder; você acha que sim, mas no fundo é uma onda que vem e passa. E isso, sei lá… É bom, porque faz você esperar a pessoa certa, mas por outro lado, quando ela realmente aparecer, será que você vai deixar fluir? A gente falou sobre isso também. Sei lá. Eu vejo mil travas nisso em você e que você precisa resolver. Sentir não é tão ruim. Aliás, nem era isso que eu queria dizer. Prioridades. Lembre-se delas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar