RevisadoSem signo

A poligamia

Vamos falar de monogamia?

AAAAHH eu adoro esse assunto. Não da monogamia em si, que está mais transparente que leite, mas da não-monogamia. Você é não-monogâmico(a), e essa foi a primeira coisa que me fez broxar contigo. E por que eu fiquei assim? Eu confiei que dava para tirar uma amizade. E deu, né? Mas isso me fez broxar de verdade. Eu sei que depois você veio falar que “AH, MAS EU NÃO DESCARTO A MONOGAMIA”, mas… qualquer pessoa que ouve isso fica: “Essa pessoa não quer ninguém.” Sério, atenção nisso com as próximas guruzinhas e guruzinhos. Uma delas COM CERTEZA vai ser o seu mozão. Não assusta a pessoa, não.

Não-monogamia para mim tem outro nome: síndrome do solteiro. A pessoa que não quer mesmo assumir nada com ninguém, porque confia na visão que quanto mais gente maneira conhecer, mais satisfação vai ter. O Guru Astral também já seguiu essa linha, mas depois eu vi: o quão vazio é isso? Sabe? Eu sei que você não sabe, mas se a gente tá feliz com alguém, gosta de alguém, não precisa se preencher de outras pessoas para ter satisfação. Ou então, porque a pessoa não é do jeitinho que você quer, você pode trocar e ir para a outra. Ou você tem como sair de caso para caso com o pretexto de não machucar ninguém.

“Ah, mas isso é da pessoa. É a pessoa que se machuca.” Concordo, mas quer saber? Eu não acredito nessa juventude que tá meio perdida e que fala que o único amor é a bebida. Quase todo mundo quer alguém para se juntar na caminhada. Minha opinião. Caminhar consigo mesmo é bom, mas acompanhado, trocando boa conversa, é bem melhor. Eu acho que essa coisa de não-monogamia também é uma forma de satisfazer caprichos. Não adianta nada você procurar evolução espiritual se primeiro você tá olhando para a bunda da pessoa de quem você está a fim, ou ficar trocando de pessoas só para satisfazer seu instinto primitivo. É sexo. Nas outras dimensões mais elevadas, não tem mais sexo, não. É só comunhão. E trocar ideia você troca com qualquer um, não precisa ter sexo envolvido. “Ah, mas eu acho a pessoa bonita e quero ficar com ela.” Duas palavras: instinto primitivo. Se envolver sentimento, aí, bom… outra coisa, né? Por isso eu não digo que não exista essa coisa de amor livre, mas é raro. Raríssimo, e tenho certeza que não tá pautado principalmente no sexo.

E, bem, pra mim a monogamia é só mais um rótulo. Eu gosto mais da frase “Estamos juntos”. Olha o impacto que isso dá. Além de não precisar ficar caçando mais carne para se satisfazer. Essa tal coisa que chamam de monogamia é bonita, sim. Imagina olhar para a pessoa e poder ser o que se realmente é, sem se preocupar se vai ofender, se a pessoa não gosta, se a vibe não encaixa, sem pisar em ovos, sem ficar perdendo mais tempo procurando, porque você já encontrou. Não estou nem aí para as convenções, o que me importa mesmo é a união, essa paz. Se falta novidade na relação, novidade a gente faz, a gente cria e pronto. É legal conhecer gente, mas pessoas vêm e vão. A pessoa certa consegue despertar a sua imensidão; quando é ela, você sente, sabe? Porque ela fica. Poético?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar