RevisadoSem signo

Quando ela descobre a traição

Havia algum perigo pelas suas redondezas. Ele sempre foi de se encantar fácil, entretanto,  das últimas vezes não confessava nada. Assim que “terminamos”, algumas fotos me provocaram certo revirar de estômago. Eu vi que o homem que dizia amá-la e prometeu amor por uma vida inteira, ao qual defendi veementemente sobre suas boas intenções e sobre a verdade de um amor perfeito e insolúvel, circular pelas ruas com uma outra mulher.

Eu surtei.

Joguei todas as minhas frustrações para o alto. Julguei que toda a minha história seria uma mentira. Todo um amor vivido de forma completamente insana e entregue para a posteridade… A possibilidade da frustração atingiu-me como um baque terrível. Como uma mentira. Como as tripas de um boi que eu tivesse de engolir. E mais uma vez isso refletiu na busca dos meus sonhos. Será que eu ainda o queria? Será que ainda faria sentido?

Por mais que eu tivesse razões suficientes para desistir, isso me tornou mais forte. O que não mata, fortalece. Agora seria eu por mim e uma fé inabalável. Nada poderia me deter. Nada. Nem você. Eu não sabia o que esperar até encontrar. Eu estava em busca de uma chance para me perder. Porque a vida realmente não era tão boa quanto parecia. Eu estava… sozinho. Nada poderia me achar.

As náuseas voltaram rapidamente. Tentei me levantar para pedir convincentemente alguém me ajudar. Mas no rosto de todos eles haviam sorrisos de puro escárnio. Eles diziam as palavras que ela falava toda vez em que eu parecia inconsequente.

Eu optei por não ouvir.

I just want to forget. Your lies. Your energy.

Mas no fundo, no fundo… eu só queria curar o vazio aqui dentro. O vazio de amar. Mas não havia o que me fizesse parar. Eu tive direção. Era o que eu fazia toda noite. Eu visualizava pessoas. Eu queria ver quase todas que estavam ali curtindo. Perdendo suas cabeças por uma pista de dança ou uma mesa de jogo, ainda que sugerisse isso de forma completamente casual. Eu não queria que me entendessem. Esse era meu prazer particular, e não queria dividi-lo com ninguém.

Então eu te vi. Você mal poderia notar o quanto eu te admirei naquele momento, mas para mim você fez a diferença no meu íntimo. Eu o tinha adormecido. Você o despertou. Caminhei até você. Os instantes que te perdi de vista foram para reafirmar se eu realmente deveria prosseguir. Continuei firme. Desci lentamente pelos joelhos, e eu sei que notou minha presença quase que imediatamente.

Continua…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar