RevisadoSem signo

Precisamos falar de destino

É. Ele mesmo. Esse destino que você cansa de contestar e dizer que está errado, que não existe. Bem, existir, ele existe, né? E eu posso provar. Bem, só falei isso para causar um certo impacto, porque eu não tenho provas reais do que estou falando, mas posso lhe dizer algumas coisas que já pensei a respeito. Se você concordar comigo, perfeito. Se não, valeu para tirar uma reflexão e pensar um pouco mais no assunto. Vai que acha uma explicação um pouco melhor que possa servir de base para outras teorias.

A gente cansa de ver nos filmes e nas histórias muita gente retratando o destino como algo imutável e indissolúvel. É como se fosse uma coisa da qual não dá para fugir e que sempre vai voltar à tona para ser efetivamente resolvido ou então concluído. Bem, sabe aquela expressão de “As coisas que têm que acontecer”, né? Pois é. As coisas que têm que acontecer são assim. A gente não sabe explicar muito bem por que acontecem, mas elas estão lá bem na frente mostrando que tem um aprendizado ali, que tem uma experiência digna de ser vivida. E então percebemos que seria esse um traço de destino dançando bem na nossa cara mais uma vez para provar que realmente tem algo que estava traçado?

Talvez você ainda ache besteira e ache que exista teoria da conspiração demais aí, mas não seria melhor entregar na mão do destino? São pensamentos que fazem a gente enlouquecer. Mas enfim. As teorias estão aí para serem ouvidas e lidas. Acreditadas pelas pessoas que buscam uma verdade suprema de uma vez por todas no mar de imensidão de dúvidas.

Eu não sei o que você considera do seu destino. Talvez você ache que só você pode tomar conta das suas escolhas e tudo depende unicamente de você. Não discordaria se a teoria não tivesse furos também. A gente sempre depende uns dos outros. São as pessoas que precisam reconhecer em nós uma tentativa, algo que chame atenção para poder atuar ou não em determinada coisa. E mais uma vez… será que isso só tem a ver com a nossa capacidade? Nós nos mostramos para tantas guruzinhas e guruzinhos da mesma forma, mas apenas algumas ficam. E por quê? Nossa. Essa conversa até me deu uma fome. São muitas perguntas que eu gostaria de saber se você teria aptidão para responder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar