RevisadoSem signo

Era ele

Era a mesma estrada que me levava até os meus sonhos. Olhei para o lado. Aquele homem tinha a barba por fazer, mas estava moderada. Os óculos não serviam para tapar o sol, mas para esconder o que de verdade passava por uma cabeça conturbada de desejos, racionalidades infames e o medo de encontrar a verdadeira felicidade nos braços de um filho, um familiar ou um amor.
Eu não o entendi durante muitos anos, mas estar com ele nos momentos que mais o faziam reconhecer sua glória tinha me feito enxergar o quanto ele lutou. O quanto ele não queria perder o próprio império. Império que eu também tinha o orgulho de dizer ajudá-lo com um mísero tijolo. Homem dos olhos claros, eu sempre tive fascínio pela força e pela cabeça metódica que critiquei arduamente.
Eu amava esse homem. Nada poderia me tirar desse sentimento, nem mesmo uma terceira pessoa. Você não tem tantos mistérios. Só os cria para que ninguém chegue perto de quem você é de verdade. Eu amo seus enigmas, mesmo que eles me destruam e me afastem de você.
Quantas vezes eu preciso lhe falar que as coisas não funcionam dessa forma?
Eu quase o olhava sem qualquer expectativa. O seu silêncio poderia me gritar dores de remorso, mas também uma frieza desumana. Se fosse como no início, poderia xingá-lo e esperar que fosse me responder no mesmo tom, mas nunca fez… Mesmo quando eu de fato mereci.
Quero que compreenda… Está tudo sob controle. Sob o seu controle. Isso é o suficiente… Mas não pra mim.
“O que quer que eu faça?”
Quero que saia das suas trevas. Das suas malditas trevas. E seja logo o homem que eu amo, e não a merda desse fantasma que você costuma ser. Droga! Eu te amo, mas isso está me matando!
“É uma coisa que não pode ter fim, amor. Enquanto você tenta me salvar, eu apenas estou te puxando mais para meu inferno de merda.”
E parece que tinha que ser sempre assim. Eu estava dando meu melhor para fazer você enxergar. Eu sei das suas dificuldades. Eu sei que você às vezes não quer largar de mão das suas infantilidades, só que elas machucam. Você precisa perceber que nem sempre precisa ser da forma como você quer. Nós somos dois. Não somos um. Perceba isso de uma vez ou eu terei que partir. Acredite… Não é da boca pra fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar