RevisadoSem signo

A faceta boa do ego

Bom, eu já devo ter trazido aqui um panorama ruim sobre o ego. Diversas pessoas que acabam se aprofundando nesse assunto percebem de verdade como o ego se mascara em diversas formas na sua vida e também na sua personalidade. E isso não deixa de ser verdade, porque o ego tem uma forma muito inteligente de acabar se desenvolvendo e de tomar mais espaço do que deveria.

Não se sabe ainda dizer completamente o que gera o ego, mas dá para entender que o ego é apenas formador do seu eu. E quando falamos que ele forma o seu eu, é essa pessoa que você é hoje, mas não necessariamente a pessoa espiritualizada que você se tornou.

O ego vem para formar a sua personalidade e características primordiais sobre a sua cultura e entendimento. E por ele gerir características tão importantes, vai ser também um grande manipulador na maior parte das vezes. Basta ter olhos atentos para perceber como é que ele funciona e como nós temos que desviar dessa manipulação, indo para caminhos mais limpos.

Mas o que se refere então a faceta boa do ego? O ego não é o inimigo, como a maioria das pessoas costuma pensar. O ego é um formador de diversas emoções que nós somos capaz de vivenciar. A raiva é uma delas, mas também a coragem e a impulsividade para novos desafios. O ego é algo que, sem ele, talvez nem seríamos capazes de levantar da cama para fazer os nossos afazeres e ter coragem de empreender em novos passos.

Então, por que nós deveríamos aniquilar o ego se de fato ele vem nos trazer coisas boas? Nós somos aqueles que vão conseguir dominá-lo e trabalhar para poder fazer com que essa ferramenta venha a nos ajudar cada vez mais para diversas coisas que gostaríamos de fazer e para coisas que temos que fazer como os nossos deveres.

O ego, no final das contas, é uma força motora que traz bastante expectativa e também iniciativa para começarmos. A questão aqui não se trata tanto sobre dominar o ego e fazer com que ele seja escravo das nossas vontades, porque seria estar trabalhando mais uma vez de uma forma que não estaríamos enxergando. Mas seria justamente canalizar o ego para onde é produtivo e onde nós podemos ser melhores.

Entenda ou busque entender os seus momentos de raiva e falta de compreensão. Esses momentos vão ser muito necessários para você começar a manusear melhor o seu ego e também para você conseguir direcionar a sua força para onde ela realmente deve ir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar