RevisadoSem signo

O que deve estar no lugar de tanto sacrifício

Você acha que não é tão comum você viver em cima de tanto sacrifício assim na sua vida? Tudo é fruto de um sacrifício, e você já se acostumou com a dose de sofrimento que isso implica. Você não entende mais por que a vida tem que ser envolvida por esse tipo de processo, sendo que não lhe parece justo. E o Guru Astral lhe diz que não há nada de justo nesse processo, e infelizmente a gente demora a entender isso. O sacrifício para a gente sempre é um sofrimento sem tamanho. Às vezes a gente se pega chorando e se perguntando por que determinada coisa tá acontecendo com a gente e por que a gente precisa mudar tantas coisas assim para tudo ficar bem. Só que a gente se esquece que somos frutos de mudança e de evolução eterna. Os sacrifícios na verdade são frutos do nosso apego em não querer mudar.

Nós temos um quadro na nossa frente que nos mostra o que nós podemos nos tornar a partir deste momento se abrirmos mão de tanta coisa que já aconteceu e que pode mudar se a gente mudar o olhar sobre isso. Talvez ainda você não esteja entendendo o que eu estou falando, mas se trata basicamente da nossa mudança de postura frente à vida. Se algo acontece e nós não gostamos de receber isso, para que essa coisa mude não devemos focar na mudança daquela coisa, mas na mudança do que nós somos. A gente nunca vai conseguir mudar algo exterior se não optar pela mudança interior. O livre-arbítrio vai refletir exatamente na nossa capacidade de querer ou não alguma coisa a partir da nossa autonomia em querer se transformar.

O assunto pode parecer meio chato e talvez até impossível de colocar em prática. Não sou eu que estou dizendo que vai ser fácil você começar a se transformar a partir deste momento, porém eu lhe digo que além de necessário é extremamente possível e muito mais simples do que você tá imaginando agora. Tem coisas que você aprendeu a gostar e que não necessariamente você gostava no início. Te induziram a determinados comportamentos que não faziam parte do seu processo de reconhecer você. Esse é o ponto onde acontece o resgate do que você é puramente sem qualquer tipo de interferência. A gente enraizou tanto determinados comportamentos que você vai debater, sim, se uma coisa é ou não é essência, e isso faz parte. Esse é autoconhecimento. Esse é o deixar de sofrer e fazer sacrifícios. É entender o que é fluxo. E entender quem se é.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar