RevisadoSem signo

Os seus segredos

“Os meus segredos são a minha sentença de silêncio eterno. Eles não podem saber sobre nós, mas eles podem ver as lágrimas que você me causa. Quando eu lhes disser a causa, falarei rindo, que foi você o causador do meu empecilho para a felicidade. E eles… vão rir junto de mim sem poder acreditar.”

Eu nunca vou entender a razão de as pessoas endeusarem as outras. Não esqueça que os simples mortais, que hoje também são deuses, estiveram onde estamos hoje. Então pare de achar que as coisas impossíveis são… impossíveis.

Amor… O impossível não existe. E os fortes e sãos sabem disso.

A Origem

O que eu sou hoje é reflexo das manchas que você pintou. Eu acabei sendo seu quadro de desgraça. Meu coração não sabe nem tocar meus pés. Tem um pouco de desgosto nos meus olhos e sarcasmo nas brincadeiras com seu nome.

O quanto eu espero minha primeira oportunidade para fugir. Para sumir do Universo e para esquecer que você existiu um dia para mim como minha principal prioridade para apagar seu rosto da minha mente e tentar não me lembrar de você todas as vezes que um homem mente de novo para me impressionar, sem comparar, sem julgar, sem achar que você é o padrão que devo seguir para minha próxima escolha, sem acreditar que nenhum é tão bom quanto você.

Eu quero explodir isso da minha mente, assim como você explodiu aquilo que eu achava que era uma vida segura e de sonhos. Eu tinha poder. Todas as minhas fugas sempre vão me trazer para mais perto de você. Só que estou enlouquecendo. Eu estou cada vez mais querendo isso. Enquanto você não sai da sua cadeira. Do seu maldito personagem.
Ah, mas eu sei. Que nós dois somos tão iguais que chega… a me insultar. Eu sou louca. Sou paranoica. Psicótica. Hum, hum.

Por que você tem medo de escrever músicas de amor estúpidas? Não é por temer se entregar demais?
Mas como alguém poderia acabar de prometer, quebrando sua própria promessa em seguida?

Ouvi o tilintar para destrancá-la. As portas se fechavam quando ele alcançava o elevador, sem conseguir entrar. Nós trocamos nosso último olhar, e eu sabia que ele viria atrás. Ele era um caçador, e era isso o que ele costumava fazer.
Eu era a sua presa.

Escapar era o que eu fazia, mas nem sempre eu tinha o resultado que eu esperava. Às vezes era muito diferente, e eu não me sentia capaz de fazer nada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar