RevisadoSem signo

O maior grito dele está no silêncio

É estranho, mas você me consumiu também com silêncio. Não lembro direito, mas o meu coração bateu, mas ao me virar eu só tinha visto que você tinha sumido, desapareceu. Não posso te culpar por não querer mais. Esse tempo todo investido em achar que iria encontrar o meu cais.

Eu sei que isso é um vício, e não posso mais pegar te poetizando. Sempre acho que fazer isso é insistir errando, mas eu quero relembrar mesmo a sua chegada e também a sua dolorosa partida. Ferida que ainda dói, lateja, a batida que sempre continua me deixando.

Eu penso tanto, mas eu nunca chego a uma conclusão. Será que eu fui o que você nunca quis? Eu gostaria que você pudesse me responder. Será? Não sei, às vezes penso que é melhor deixar para lá, mas eu nunca quis mesmo te deixar. Porém, eu tive que contentar em ter que andar.

Nós apenas nos vimos o quê? Umas três vezes, mas ainda assim parece que você sempre teve mais de mim do que qualquer outra pessoa que ficou por mais tempo.

O seu silêncio me consome, é como se fosse a maneira de dizer que é tão capaz de deixar que nunca me abandone, mas apenas me diga se estou errada, garoto em vez de homem.

Tem vezes que torço para você sinta algum tipo de ausência da falta da minha vida, mas acho que você só está muito ocupado em pensar no que tem que fazer pra não perder as metas que você tem bem fixas.

Eu também torço para que um dia você possa sentir falta de nós dois, peço para que você não vá mesmo se enrolar em outros lençóis, planejando planos românticos com outras pessoas a vislumbrar dois sóis.

Só que nisso tudo eu ainda tenho que lembrar que te amei. E eu desejei que você tivesse sentido o mesmo, ou pelo menos tentado.

Me perdoa por tudo o que eu disse, mas eu só quis que você tivesse me encontrado. Desculpe de novo, mas acho que entendi tudo errado.

Eu vou me segurar ainda no passado, mas prometo que não falo nada do que não possa ser comentado. Eu vou me manter no silêncio, pois eu aprendi com você que isso grita tanto a ponto de não ser falado.

As dívidas são mesmos os próximos passos para aquilo que chamamos de sofridas despedidas? Se puder responder, me diga.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar