NarrativasRevisadoSem signo

Em um pesadelo bom

Os afiados acordes me acordaram de um sonho ruim. Eu caía e tentava escapar de um possível desastre, mas era inútil. Toquei os meus pés no chão e esperei que aquela sensação de vazio desaparecesse da minha mente. As palavras dele tão frias e compreensíveis atordoaram meus pensamentos:

— É ele quem você sempre quis. Não há mais nada o que eu possa fazer a não ser viver a minha vida.

Antes de tudo eu tinha imaginado um texto, um momento para dizer os meus pêsames por um amor prematuro e agora morto. Poderia dizer a grande razão pela qual estava deixando tudo para trás, porém parei. Ele não sabia que seu irmão estava doente, e não deveria vir de mim essa informação.

Talvez tenha sido tolo ao não perceber que o outro pedira que escrevesse o final do livro como o seu próprio “personagem” doente. Condenar? Não. O mais novo dos homens sempre fora também o mais excêntrico. O quarto estava escuro e mal dava para enxergar a frente.

Falei com ele, expliquei minha liberdade, mas pedi que me deixasse só. Era um tempo meu em que só me restaria limpar a minha própria vergonha e culpa por um passado inóspito e um futuro incerto. É um pouco difícil dizer. Estar assistindo a cenas e cenas e cenas suas…

É um filme deveras grande que não se pode repetir em um dia inteiro, muito menos em um daqueles de verão, mas… há casos em que posso pausar e te observar me olhar, mesmo que inconscientemente. Fiquei estupefata na primeira vez, e tal experiência continua a se repetir. Talvez seja sua voz ou um olhar perdido, porém reconhecível como se previsse nós dois.

Se pudesse compreender a razão disso tudo, talvez me ouviria. As críticas, os tantos tapas ao seu ego… Ah, meu querido… Tudo amor, tudo por amor. Se pudesse enxergar a dimensão deste, me diria se é loucura ou sanidade.

Eu te protejo de si próprio com meu falso ódio e com o remorso, as minhas emoções, mas se entendesse o quanto te amo… saberia que o que mais quero neste mundo é que viva ao meu lado…

Juntos. Pode me ouvir?

… Eu te amo, meu bem. Você pôs seus braços em volta de mim. Deixei escapar lágrimas silenciosas e adormeci brevemente. Foi tudo tão perfeito que eu gostaria que durasse para sempre.

— Eu não poderia viver sem você.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar