Minuto de AutoconhecimentoRevisado

Há um outro lado da história

Olá, pessoal. Tudo bem com vocês? O Guru Astral espera que sim, ok? Hoje, vamos falar sobre as histórias, que nós querendo ou não sempre têm dois lados, e nem sempre o lado que a gente defende tem razão. Prepare-se para muita reflexão, tudo bem?

Nós seres humanos somos dotados de crenças. Crescemos firmando algumas crenças, embasando-as com o que nos acontece nos anos seguintes e, no fim das contas, podemos perceber que as crenças ficam ainda mais fortes ou mudam. Há pessoas que detêm uma maior flexibilidade e que com isso conseguem olhar para o outro lado da mesma moeda de forma a entender aquilo que outra pessoa pensa.

Isso é importante para compreender o todo, para perceber que as histórias que têm dois ou mais lados têm a defesa desses dois ou mais lados porque essas pessoas cresceram, firmaram crenças diferentes das nossas e por isso acreditam naquilo que acreditam. Faz sentido para elas.

Quando a gente para um pouco para analisar a questão como um todo, levando em conta o nosso contexto e o contexto do outro, pode ser mais fácil de perceber que a outra pessoa tem motivos para pensar daquele jeito. Talvez isso não faça com que a gente concorde com o posicionamento dela, mas o primeiro ponto é entender que para ela faz sentido ver as coisas da forma que ela vê.

Há um outro lado da história, sempre há, e se a gente der abertura para compreender esse lado com a mente aberta, pode até mesmo concordar com alguns ou todos os pontos que a outra pessoa defende. É importante perceber ainda se a outra pessoa, quando fala com você e defende o próprio ponto, mostra que entende o seu lado e que faz sentido você pensar desse jeito. Se ela está tendo essa flexibilidade e realmente percebe que há um outro lado da história, talvez ela esteja analisando o contexto sem julgamentos e tenha mais ferramentas para embasar a sua opinião.

Isso não significa, é claro, que, se todo mundo entender o outro lado todo mundo vai acabar chegando na mesma resposta. Não, porque entender o outro lado não é o mesmo que ter vivido o outro lado, ter experimentado aquelas vivências na prática, então mesmo uma pessoa que olha para a questão de maneira abrangente pode não concordar com o que o outro lado pensa.

O que não invalida a importância de flexibilidade. Como queremos ter uma opinião mais acertada, mais consciente, se não conhecemos o outro lado da mesma moeda? É importante ter em mente aquilo que o outro lado acredita como certo para ter uma opinião que leva em consideração mais fatores. Mas, como foi dito acima, isso não é uma garantia de que as pessoas, no fim das contas, se olharem todo o contexto, vão pensar da mesma maneira.

Pegue como exemplo as guerras. Em algumas guerras, nem sempre há só mocinhos e vilões. Há pessoas que acreditam estar certas sem considerarem o outro lado, há pessoas que não entendem o que defendem e que podem acabar ferindo pessoas que não têm nada a ver com a situação. Por outro lado, as pessoas que estão sofrendo o ataque, mesmo que estejam atacando também, podem se ver exclusivamente como vítimas.

Na dúvida, pergunte à outra pessoa por que ela insiste em defender seu ponto e explique para ela por que você defende o seu. Talvez cheguem em uma conclusão comum a partir disso.

Botão Voltar ao topo
Fechar