RevisadoSem signo

Feche as cortinas

Feche as cortinas. Chega de show por hoje. Você já fez suas coisas e já cumpriu com as suas obrigações. Agora é hora de chegar em casa, relaxar, colocar suas coisas no lugar. É hora de jogar umas horas de vida fazendo exatamente nada. É hora de pegar aquelas séries na Netflix que você tanto ama para poder deixar a sua cabeça descansar. É tempo de se importar com nada, porque durante o seu dia todo, durante a sua semana toda, você esteve se importando com alguma coisa, e é preciso você ter esse tempo para você, e só. Se alguém vier encher seu saco, você vai dar o seu melhor sorriso cansado e dizer que não tá a fim de muita conversa hoje. Que tá a fim de ficar na sua e ter seu momento de privacidade. Feche as cortinas, porque de vez em quando você vê seu vizinho te espionando de outro lado da cortina e agora aquele é o seu mundo particular. A sua única companhia é seu animal de estimação, se você tiver, mas se ele quiser ficar na dele, tudo bem por você. Você só precisa relaxar. Tome um banho, se quiser. Fique algumas horas deixando a água cair e esperando que, depois de chorar um pouco, a dor possa aliviar, te deixar por uns minutos só pra você aproveitar.

É tempo de você requentar aquela comida de ontem. Aquela que você pediu contando já com o jantar de hoje. Ou então de dar uma louca e pedir comida de novo. Joga para a próxima fatura do cartão de crédito. Você nem sabe como vai pagar, mas isso é a última coisa que você quer pensar agora. Esse é o momento que você pega seu celular que está conectado na bateria para poder ver se tem alguma mensagem de uma pessoa interessante, quando você resiste em olhar o perfil da pessoa, mas acaba olhando com uma requinte de culpa. A pessoa está bem. Talvez você pense que não está, mas o Guru Astral diz que você está muito melhor agora com o silêncio que ninguém pode atrapalhar. Só você, se quiser. Mas por enquanto, por agora, é hora de deitar. É hora de planejar como vai ser o próximo dia, se vai ser no dia seguinte que as coisas vão mudar. E se não mudar, você pode recomeçar. Pode tentar de novo. Deita. Fecha os olhos. Não começa a se julgar nem se lembrar de coisas que não podem mais voltar. Só se solta disso. Só se abraça. Se faça carinho e tentar desmaiar de cansaço em um sono profundo. Você vai acordar e esperar estar com mais ânimo, mas se não estiver…

Você pode fechar as cortinas outra vez nesta noite, apenas buscando se recarregar para novos tempos que você sempre espera chegar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar