RevisadoSem signo

“Eu sei que sou meio doidinha”, disse ela

As pessoas não conseguem me entender. Eu sou que nem o ar. Uma hora estou aqui, e outra estou lá. Eu não faço por mal, e também não faço para as pessoas não conseguirem se aproximar. Eu quero mesmo que elas estejam do meu lado, mas é difícil de explicar. As pessoas não entendem que tem pessoas que nasceram para ir e outras para ficar. Eu nasci para tudo, mas só vou ficar quando eu sentir que vale a pena estar.

Vale a pena eu abrir mão desse vai e vem para poder ficar? Então, sei lá. Me dá uma chance, vai. Eu sei que é meio complicado, porque tem horas que vou querer surtar. Que vou querer me ausentar para ter meu tempo só pra mim ou que vou simplesmente sumir para poder me encontrar. Mas eu sempre volto. Essa é a minha forma de demonstrar que eu quero ficar aqui.

Pode parecer meio doido. Eu aceito que o pessoal me chame de maluca. Que não entenda que eu veja arte em tudo, que eu queira utilizar a faixa de pedestres para modelar, mas eu sou assim. Eu nasci livre. Eu sou livre e gostaria que você também fosse para me aceitar. Agora, por mais que seja assim, gostaria de lhe dizer que também posso ser séria. Que minhas palavras são pensadas e não sou de falar coisa besta.

Eu sou doida, mas não tanto. Eu também gosto das coisas dentro de uma ordem onde eu possa me achar. Pode ser que volta e meia eu acabe ficando meio esculhambada, mas eu não sou assim. Dentro de mim, eu consigo me entender. A gente se perde, mas se acha outra vez.

Sou uma pessoa prática. Gosto de pensar demais nas coisas para poder achar um denominador comum que me deixe satisfeita. Não quero ser injusta com ninguém, mas se eu for com você, eu lhe peço que me dê um toque. Eu lhe peço que você não tenha medo de chegar perto de mim e falar que acabei pisando demais na bola.

Eu juro que vou tentar entender se você for muito bom em me convencer. E é difícil, viu? Tem que ser inteligente, tem que apresentar argumentos profundos e que também façam tocar o fundo da minha alma, porque senão nem rola. Senão eu acabo deixando de lado e achando que o louco é você. Mas vou te respeitar.

Cada um tem sua forma de se encontrar. Aprecio as pessoas que conseguem seguir uma linha diferente da minha, pois demonstra esse pluralismo de ideias. Gosto de gente que tem coragem de bater de frente para defender um ideal, mas gosto também de estar na paz. Gosto disso, e gosto de pessoas que não querem mudar as outras, mas apenas apresentar onde elas estão errando.

Eu sou doida, mas uma doida consciente. Sou uma pessoa que se veste de verdade, mas que espera que a vida, mesmo sendo dura, deixe a gente ter a oportunidade de ser contente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar