RevisadoSem signo

Eu conhecia ele, agora ele é um estranho

Eu conhecia ele, mas agora ele é pra mim um completo estranho. Eu sei que vai ser meio chato falar sobre isso, porque… Sei lá. Eu não gosto de ficar alimentando um passado que vai continuar me machucando. Eu sou a pessoa que segue em frente e deixa para lá qualquer coisa que possa me deixar para baixo, mas ele… ele me marcou, sabe? A nossa história não foi como as outras. Nossa história foi completamente diferente de tudo que eu já vivi. Essa história me fez crescer bastante como gente e me fez encarar pra caramba como é que vai ser daqui para a frente. É claro que desejo toda a sorte do mundo para ele, mas eu também desejo que um dia a gente possa sentar um de frente para o outro para se resolver. Não precisa nem voltar mais a ser como costumava ser. Eu gostaria, mas não vou forçar para isso acontecer. Ele também tem que querer. Ele também tem que ver que eu estive aqui o tempo todo; não para convencer, mas para a gente voltar a se dar bem. Sabe, às vezes a gente se encontra em um evento ou outro. A gente acaba se esbarrando, e não tem como não ser estranho. Ele sempre parece deixar os olhos fora do meu alcance, e eu finjo que não é comigo, mas nós dois sabemos o que estamos sentindo.

Minha pele ainda arrepia quando a gente está muito perto ou então quando nossos olhos acabam se encontrando de vez em quando. Não tem como negar a química. O péssimo é saber que mesmo com tudo isso a gente finge que não se conhece, e todo mundo percebe que é justamente ao contrário. Que a gente já foi muito próximo no passado, mas acabou se afastando.

Caramba… Eu queria mesmo que isso tivesse mudado. Queria que a gente tivesse amadurecido para não se deixar levar tanto, pra não se emocionar e poder falar o que a gente realmente tem dentro da gente. Eu queria tudo isso, mas agora não tem mais como, porque eu só o vejo indo embora cada vez mais da minha vida. Eu queria poder segurar e dizer que eu tô aqui, para ele pensar de novo e ver o quanto nós já fomos bons e como nós estamos abandonados. Mas será que ele conseguiria ouvir o meu apelo sem passar por cima do que eu sinto, sem ele mesmo fingir que não se sente atropelado com tudo o que aconteceu? Eu não sei dizer. A única coisa que posso dizer é aquilo que consigo ver. Uma pessoa distante, fria, que se recusa a falar qualquer palavra comigo se não for forçada a isso.

E dói muito. Dói de verdade para quem não conseguia passar um dia sem ficar junto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar