ReligiosoRevisadoSem signo

Você conhece o deserto?

Hoje a gente vai falar sobre o seu Deserto. Letra maiúscula no “D”, pois é de Deus.

Eu me lembro de conversar com a minha mãe esses dias sobre a questão do deserto. Ela estava me falando que o dela foi quando ela foi morar e trabalhar em Israel. Para uma pessoa não muito ligada à espiritualidade na época, ter o seu deserto em Israel é quase que uma história muito bem contada e escrita pelo Todo-Poderoso. Pois bem. Ela deve lhe contar isso tudo melhor no Natal, vou pedir a ela para não esquecer, e ela o fará com muito gosto. Você vai conseguir sentir as energias, e isso é essencial para sua passagem pelo seu período. Eu diria que quanto mais você soubesse das histórias dos desertos alheios, mais munido você estará, mas Deus sabe o que faz. De repente, a questão não estará agora na quantidade, mas na qualidade.

Dinheiro (muito), mulheres (muitas), exibicionismo, poder… Ego. Algo tão extremamente tentador. Trevas. O caminho mais fácil que nem sempre para nós é mais fácil, pois as ilusões só são apenas ilusões se elas são construídas de uma forma tão bonita a ponto de acreditarmos nelas, independentemente do nosso estágio de evolução espiritual. Todos somos suscetíveis, e você o será ainda mais depois do seu processo desértico.

Durante ele, muito cairá à frente dos seus olhos. Suas percepções mudarão, e é exatamente onde eu me encaixo, essas cartas, as lições. Você se encontra vendado. Há tanto que lhe passa desapercebido, mas que mesmo cego você acredita ser capaz de continuar sentindo. E, sim, somos capazes de sentir mesmo cegos, mas apenas quando praticamos devidamente essa sensibilidade. Você não pode falar sobre amor, querido, se não souber o que realmente é isso. Amor não é a mesma coisa para todos, mas é para todos uma coisa. Há doses, intensidades, estágios, entendimentos que agora não devem ser menosprezados. Seu ego diz que concorda, mas na prática faz o contrário. Enquanto houver discrepância, principalmente a gritante, entre os seres desse mundo sobre entendimento, energias e conexão, você precisará respeitar a evolução dos seres, dando a eles o que lhes é necessário, sem se iludir que não dizendo a verdade está ajudando de alguma maneira. Você apenas está adiando o inevitável e aumentando a dor. A ideia do deserto é você terminar nu em essência. A queda, depois o questionamento, o choro, a dor, até o alívio.

Se você não retirar as ervas daninhas, elas serão ceifadas de você. A escolha está contigo.

Amigos te deixarão, o dinheiro pode lhe faltar, pessoas vão deixar cair suas verdadeiras máscaras e o que você acredita será motivo para muitas e muitas dúvidas… A vitória vai parecer longe, mas enfim você voltará a enxergar. Para um missionário, é tudo mais intenso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar