RevisadoSem signo

Vamos sair desse quarto

Mais um dia está começando. Mais um depois de outros que já terminaram. Em tese, seria um novo dia. Em tese, seria uma nova oportunidade para eu fazer algo novo, para poder dar um rumo definitivo à minha vida, mas eu acho que as coisas não são bem assim. Às vezes a gente precisa de um motivo que toque nosso coração. E às vezes precisa ser um motivo que realmente desperte nossa atenção. Eu nem sei se seria “atenção” a palavra certa, porque parece ser algo bem mais profundo que isso. Parece que é algo que toca bem no fundo, no íntimo do nosso ser. Algo que faz a gente ver que nada acabou de verdade e que continuar dentro de um quarto não vai trazer um pingo de felicidade sequer.

É como desistir da própria vida, mas não ter coragem suficiente de acabar com isso de vez, e esperar então que algo se encaminhe e tome esse passo, pois continuamos covardes. Sabe, eu não desejo esse sentimento para ninguém. Eu não desejo que as pessoas não tenham vontade de nada. Tem muito mais nessa vida que parece que precisa ser vivido com raridade. Coisas que a gente precisa mesmo dar valor antes que seja tarde, mas… é preciso força. É preciso coragem.

Às vezes eu vejo o quanto eu me acomodo com o meu quarto. Aqui dentro, eu encontro as coisas que eu gosto. Vejo pequenos pedaços do que sou e como estou protegido do que acontece lá fora. Estou protegido, mas jamais protegido de mim mesmo, das verdades. A minha mente não para em nenhum momento, e eu vejo que, por mais que eu durma, jamais vou conseguir me livrar dessa voz que me pede que eu dê o primeiro passo para fora. Que eu me sinta envolver por uma nova tentativa de fazer uma coisa diferente.

Eu ainda espero uma motivação que venha do além. Algo que me lembre de que posso ser curado. Que não existe algo de errado, mas algo a ser tratado. Que dá para lidar com isso e que eu não vou voltar a ficar mal por conta do meu passado. Que dá para seguir uma vida normal sem achar que estou sendo apenas mais uma pessoa temperamental. Pois eu sei que não é isso. Eu sei que… dá para levantar e tentar fazer as coisas, mas não vou me forçar. Eu não vou mesmo me forçar a tentar se eu não sentir que dá.

Eu vou sair desse quarto quando a mensagem chegar e meu coração disser que tem uma nova página para virar. Vou sair quando eu sentir que chegou a hora de mudar desse lugar para outro onde eu posso ver o sol nascer, e uma nova parte de mim também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar