RevisadoSem signo

O Lutador

Eu achava engraçado como nos primeiros momentos eu nunca consegui te associar à luta. O corpo, a postura e os movimentos eram muito limpos e sutis para a arte a que você escolheu se dedicar, mas claro que conforme o tempo passa, as informações me chegam e tenho gratidão pelo Universo me fornecer respostas e poder compreender de onde saía o seu “elitismo”. Não só das suas vidas passadas, mas de quem é hoje, que nunca gostou mesmo de se colocar em linha de combate, nunca gostou de ferir qualquer ser existente, mas que o faria se fosse necessário apenas pelas coordenadas do sentir. Mas a sua outra forma, por sua vez, sempre esteve distante dos campos de batalha. Era e é a gestora, a família, o amor na plenitude e a geração da vida. Não é à toa que cuida de muita gente.

Como o seu ser atual ,você peca por onde você sempre falou e defendeu. Essa é a sua provação. De um “demônio” desvestido de ego, como humano, é refém do mesmo. De um ser que defendia o encontro das almas e o amor como o único capaz de curar, além de saber completamente o que ele é e como sê-lo dentro da essência, como egoísta nem ao menos chega perto de reconhecê-lo quando está debaixo do seu nariz.

Sabe, esses dias eu debati muito com o mundo. Continuo a debater, mesmo agora tendo aceitado um monte de coisas que antes eu sequer cogitava. Eu admito e digo isso com o maior amor possível: você me ajudou muito nessa existência, e não há palavras para lhe agradecer o seu feito.

Porém, em mesma proporção os seus erros infelizmente ainda tocam meu ego que continua inflamado e inflado. Esses dias eu me peguei questionando mais uma vez o porquê de ter de ajudá-lo a se encontrar. O porquê de não poder simplesmente dar as minhas costas sem sentir um pingo de remorso sequer e a sensação de um dever falho.

Falei com o Universo de eu não acreditar na sua capacidade de regeneração, no seu acordar e na sua transformação, mesmo acompanhando o que você foi no dia que nasceu até o dia atual. E a resposta não me poderia ter sido mais dura e verdadeira, talvez o maior tapa que recebi na cara em toda a minha existência: “Então você não acredita nele.”

Então, se essa for a minha maior expiação, tenho certeza que darei o meu melhor para acreditar que você pode se regenerar e ser mais uma vez o que você jamais pensou que voltaria a ser… Luz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar