RevisadoSem signo

Então, não é ela… É você!

Verdade. Não é, e nem nunca foi. As coisas parecem ter sido avisadas para você, mas você escolheu lembrar só depois.

Tudo no início sempre é tão lindo e tão mágico. Você nem vai acreditar que daqui a poucos instantes vai se machucar.

Aponta quem errou, mas ninguém quer admitir que está errado. Talvez o maior erro seja o passado de alguém traumatizado que não conseguiu seguir em frente com alguém novo ao seu lado.

Enquanto isso, a gente fica por aqui. A gente espera que seja só uma crise para não admitir a burrice que foi achar que dessa vez seria diferente do que alguém disse: “Não vai ser tão diferente assim.”

Sim. Não sou eu. É você.

E essa é uma coisa da qual você você nunca vai querer passar por cima, dividir ou se fazer entender, já que você vai preferir construir novas formas para se perdoar por não deixar ninguém se aproximar das suas feridas. Você não pode ser a pessoa certa e nem ao menos vai tentar ser.

Por menos, enquanto você escolhe sofrer, eu vou me culpar por algum tipo de ambição em pegar os meus medos de todos os dias e me arriscar a vencer. Seria mais fácil se um de nós dois optasse por ser menos covarde em pegar essa merda e resolver, mas não… Pode ser mais fácil viver esse caos e esquecer.

Quando for viver isso de novo com alguém, lembra que para qualquer relacionamento que você quiser construir primeiro você precisa amadurecer; senão nenhuma esperança sua vai realmente crescer e você só vai continuar a perder.

Eu não posso, eu não tenho o direito de culpar você por se envolver, mas só me diz o que sobrou quando seguir em frente for o que você escolher. Quando eu errar e isso for bastante para tudo entre nós estremecer, só me diz se eu tive alguma parte de verdade sua, ou todo o seu horror é a sua realidade que você teve que me esconder… Até agora.

A gente chora. Não chora?

E você… Bem, você só vai embora. Você vai tentar de novo outra hora, vai passar pelas mesmas coisas ou de repente mudar um pouco a história, enquanto eu… eu só tava tentando ter você de volta. Será que eu sou idiota?

Será que, no final disso tudo, a nossa geração transformou o amor numa grande bosta de quem vai sofrer primeiro numa relação, como uma aposta? Muitas vezes eu penso que eu não queria ter conhecido você, e muitas vezes eu fiz isso certo, eu só senti que eu deveria ter lhe fechado a porta, enquanto meu coração estava aberto.

Talvez eu possa te devolver todas as ilusões com as quais você sempre me presenteou…

Toma. Aproveita, junta com os seus traumas e suma. Eu espero que a sua nova pessoa não sofra e você possa amadurecer e não abandonar o barco sem antes pagar para ver, ou pelo menos que tenha sinceridade dizendo que o seu sentimento inicial é afobação, mas que não aflora.

Só não engana mais ninguém, ok? A dor de você sentir que machucou alguém não se compara a quem você magoa. Dói muito… Demais.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar