RevisadoSem signo

Ela não nasceu para ser amada?

Um dia, percebi que estava apaixonada por alguém. Na verdade, já foram vários “um dia”, porque diversas vezes já me senti apaixonada, amei muito, amei por mim e pela pessoa. A sensação de gostar de uma pessoa é meio estranha, mas não significa que é ruim; é algo que estremece todo o seu ser, mexe com o seu corpo, mente e espírito, pode chegar de repente ou devagar, pode ser calmaria ou furacão.

Exceto pelo fato de eu nunca ter tido um final feliz no amor. Excelente ponto, esse, porque todas as vezes que amei acabei não sendo feliz. Afinal, se eu tivesse sido feliz, não estaria escrevendo isso. Todas as vezes que amei houve início, meio e fim.

Já gostei de diversas pessoas nesses 27 anos de existência, mas poucas me notaram. A verdade é que, depois que a gente não é mais novidade, simplesmente acabamos por ficar no esquecimento. É como se algumas pessoas não tivessem criatividade para conseguir viver no piloto automático, e por isso “exigem” renovação sempre da sua parte, porque elas mesmas não fazem nenhum esforço de às vezes criar algo diferente, para assim sair da monotonia.

Sabe aquela coisa que algumas pessoas chamam de “karma” ou “lei do retorno”, meu Guru Astral?

Muitas vezes essas coisas aconteceram quando se tratava de eu gostar de alguém, não sei, talvez em vidas passadas eu tenha brincado demais com o coração das pessoas e era fria, mas nesta vida eu sou a romântica, tenho sensibilidade, encontro pessoas, amo-as, mas nunca dá certo. Pronto, talvez seja a lei da compensação ainda em ação.

Por exemplo: quando eu era do quinto ano, eu gostava de um garoto, porém ele começou a namorar e me odiava. Um ano depois, ele começou a gostar de mim, e quem estava namorando era eu, ou seja, nada sincronizado.

Para mim, o amor não deu e nunca dará certo. Todas as minhas experiências foram para o lixo junto com minhas expectativas. Existe apenas um resquício da garota que queria viver uma linda história de amor, porque a que existe agora é absolutamente diferente, e infelizmente posso dizer que é muito mais forte, pois experiências frustradas a construíram.

Eu não chego a ser sequer como aquelas pessoas que ficam de vela, porque eu simplesmente não saio mais de casa e mesmo virtualmente não faço mais nenhuma questão de querer conhecer pessoas. Para quê? Ou conhecerei as pessoas que magoam, que destroem corações ou as que estão com os seus corações completamente partidos, pois, se a vida quer que eu fique sozinha para sempre, devo aceitar meu destino. Acho que a verdade sempre foi essa, meu Guru Astral. Eu é que não aceitava que estava ficando resistente, o que só piorava cada vez mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar