RevisadoSem signo

Como essa pessoa ficou quando você se foi

Você me mostrou que não poderia esquecer tudo o que vivi, mas tão lúcido assim pôde me assustar e me fazer correr. Eu tinha tudo nas mãos até que aparecesse para destruir as chances que encontrei de ser feliz e sustentável. Me dê sua mão.

Quando eu puder me desintegrar, farei questão que saiba. Pois não existe erro maior do que aquele que jamais pensei em cometer. Sorver o infinito.

Porque eu realmente procurei apagar e calar. E como procurei! E eu? A noite escureceu, e as lágrimas saltavam dos meus olhos. Havia muito tempo que eu tinha perdido esperando por ela. E enquanto minhas memórias e recordações me vêm à mente, o seu rosto pinta todas elas.

Quando a verdade é, eu sinto sua falta. Sim, a verdade é que eu sinto tanto a sua falta. Sim, eu volto rastejando para seus braços abertos.

E são as cores mais bonitas e indescritíveis. Conforme a tonalidade do seu sorriso. Nunca fui tão poeta quanto ele, mas mesmo assim… considere todo o meu amor e carinho. Por nós. Eu procurei conforto nas palavras de um antigo amigo. Mas não fazia sentido o que ele dizia. “Acho que deve não se preocupar. Pode ser surreal, mas os dias hoje andam tão insanos que até mesmo isso vai começar a ser algo normal.”

Bati na mesa em contradição. Porém, a mão ali estatelada me fez lembrar que… eu tinha feito uma promessa. Eu caí no meu passado. Naquele do qual tentava me desvencilhar. As malditas culpas e sangues pisados me faziam retornar para as grades de um inferno tosco. Ri daquela droga de poesia. Estava tudo tão sujo, mas quem se tornava pior era eu. E você. E a porta se fechou atrás de mim. Com todas as minhas mágoas e erros. Eu era uma nova pessoa. Um princípio e uma partida. O que me garantia nessa vida. E as minhas motivações e derrotas serviriam para encontrar todos os meus sonhos frustrados.

Era o que eu sentia. A fortaleza da minha vontade. De acordo com toda a minha necessidade. Até eu cair no chão. As preces de uma canção em que ouvi em silêncio. Não houve tempo de questionar. A escuridão voltou. Poderiam ter se passado horas. Não sei ao certo. A boca seca não me permitia falar nem gesticular. Tossi, e ela percebeu que eu havia acordado dessa vez para sempre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar