NarrativasRevisadoSem signo

Ela finge não sentir a sua falta

Era engraçado o que eu estava imaginando. Porque você sabe como fico voando às vezes. E aí eu estava tão perdida em mim, imaginando como seria dançar… Dançar com você. Mas no fundo, enquanto eu dançava em meio ao engano, enquanto eu ria disfarçadamente para fingir não sentir sua falta, eu estava feliz por poder sentir meu corpo vibrar mais uma vez.

Girei o quanto pude, olhei para o céu diversas vezes e pedi que estivesse comigo contando as estrelas daquela noite, caso não houvesse nenhuma noite mais. Sempre tive a certeza de não ser atendida e a dúvida de estar errada.

Como era possível? Como era possível Deus plantar em alguém uma vontade, um sonho, se Ele mesmo sabe que pode não se tornar realidade?

Não acreditei nisso. Por muitas vezes eu tentei imaginar a minha vida diferente daqui para a frente. Eu dançava, mas pensava também.

E se um dia eu não te conseguisse? E se um dia virasse o rosto para mim como já fez tantas vezes? E se tudo o que nós vivemos esses anos todos fosse uma mera ilusão para me manter acesa trabalhando para algo invisível com o único fim de me escravizar?

Esses eram os meus maiores receios, mas aquela pergunta ainda tomava a minha cabeça.

E se no final todos estivessem certos? E se você não fosse capaz de me amar?

Fragmentos…

O que seria de mim agora? O que seria de você?

Abaixei minha cabeça para respirar o ar que me faltava. As luzes estavam fortes o suficiente para enxergar qualquer rosto. O vermelho das mesas indicava um período de fertilidade e novidades no meu novo mundo, e eu me levantei. Vi você. Estava de branco. Pela primeira vez, e como mérito por atender meus pedidos. O preto te empalidecia, mas o branco só te fazia ressaltar o grande menino que você sempre foi. Eu sorri por quase desacreditar. Você me retribuiu. Pareciam roupas de show, e acho que de fato eram. Veio me ver após o trabalho.

Não tinha se esquecido de mim.

Meus pés descalços caminharam até você.

Peguei sua mão e cobri com a minha. Andamos entre as pessoas que pareciam tentar entender o que um ator fazia entre nós. Mas a vida na verdade não é tão doce para aqueles que escolheram ser justos. E você desapareceu. Tudo à volta desapareceu. A alegria deu lugar à chuva, e meu coração ficou vazio diante da honesta mentira em que eu havia me envolvido.

Você nunca existiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar