RevisadoSem signo

Ela dispensou o crush, mas olha no que deu

Desde o dia que o fulano me visitou, não o vi mais. Apenas ouvi rumores. Os mais típicos de “quem saiu com quem”. E obviamente eram os que mais me irritavam. Eu não sei se precisava agradecer ou me socar por ter feito isso, mas naquela manhã eu o vi mais uma vez. Estava na calçada. Me dava nos nervos a forma como já se achava um legítimo brasileiro com todo aquele jeito. Argh!

Olhava para seu celular, falou algumas palavras depois de uma ligação e sorriu. Chegou a olhar para cima, para onde eu estava, mas tive tempo de me esconder antes que notasse minha vigilância. Esperei alguns segundos, ajeitei meus óculos e voltei a vê-lo. Agora estava na companhia de uma loira. Não parecia o tipo dele. A pele alva, cabelos loiros e olhos azuis pareciam refletir o sol forte que fazia lá fora. Ele a segurou pela cintura, e ela retribuiu a gentileza brincando com o vestido verde-claro que esvoaçava. Peguei a faca e quase atirei pela janela mais próxima, mas eu sabia que não poderia.

Eu o havia dispensado, e ele estava certo em me ignorar.

Continuei a olhar para o ponto em que esteve até desaparecer, e reconstruí a cena em minha cabeça inúmeras vezes. Tanto para odiá-lo quanto para me repudiar.

Eu sabia que estava sendo injusta, porque ele estava fazendo muito certo em seguir com a vida dele. Com certeza no lugar dele eu estaria fazendo a mesma coisa, mas parece que toda vez que eu sabia que ele estava sozinho isso me dava a sensação de que eu tinha ganhado a batalha. Quando eu o via com alguém, parecia que eu estava errada e tinha vontade de pegar o próximo táxi para poder ir atrás dele. Era ridículo, mas eu mesmo estava totalmente detonada por dentro e super vulnerável. Com certeza, se ele soubesse disso, iria fazer de tudo para poder me desmontar e conseguir ter vantagem.

Eu não queria, pois os sentimentos já eram coisas que não dava muito para eu entender, e quando tinha alguém em cima de mim, isso já piorava as coisas. Às vezes, eu cansei de sufocar palavras para não dizer em alto e bom som que eu gostava mais dele do que eu achava que deveria. Mas enfim… Deixa. Eu acho que isso uma hora passa e eu perfeitamente conseguirei lidar com isso da forma mais devida. Nada que um contratinho não consiga solucionar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar