RevisadoSem signo

Aprenda a lidar com isso

Sei que nascemos completos, acredito que pelo fato de sermos seres infinitos, meu Guru Astral. Mas eu realmente não entendo por que às vezes temos a necessidade de ter alguém para que possamos dividir momentos alegres ou tristes, e então as pessoas falam: “Ah, mas você precisa ter amor-próprio.” Sim, claro, amor-próprio é tudo.

Mas o fato de querermos ter alguém em nossas vidas não significa que não tenhamos amor-próprio, porque seria ilógico querer alguém se nem mesmo a gente se ama. Eu só acredito que seja bom a gente ter sempre alguém para dividir experiências.

Só que, quando estamos ficando ou namorando alguém, a gente deseja que a pessoa nos ame na mesma intensidade que a gente a ama. Será certo isso? As pessoas não devem apenas amar cada uma na sua maneira, na sua intensidade? O fato é que queremos que seja recíproco, correspondido, porém acabamos que, por expandir o significado de reciprocidade, desejamos que a pessoa nos ame na mesma intensidade.

Acredito que estamos errando ao querer que seja assim. A questão da reciprocidade, tudo bem, mas querer que seja no mesmo ritmo ou intensidade, acho que isso nunca vai acontecer, porque somos seres diferentes, então, sendo assim, vai ter sempre uma parte que vai amar em maior ou menor intensidade. É complexo, mas isso não significa que seja mais amor, e sim que as pessoas se amam de forma diferente.

E a gente precisa aceitar quando isso acontecer; eu sei que é difícil lidar com determinadas situações, mas você precisa aprender a lidar com essa situação. Imagine o que você tirou de lição desse acontecimento; não foque somente no término, tenho certeza de que houve algum aprendizado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar