RevisadoSem signo

Você está tremendo para não falar

Vê se você segura essa sua língua para não fazer besteira. Depois fica aí se lamentando pelos cantos de que não era para ter falado, que poderia ter esperado a poeira abaixar um pouco. Mas não tem jeito, né? Sempre que você fala que vai ser diferente, lá vai você fazendo a mesma coisa e contando o segredo. Eu não vou mais aqui gastar o meu latim lhe falando que você precisa parar de ser impulsiva e ouvir mais a razão, porque se tem um nome que está escrito em algum lugar na sua certidão de nascimento é justamente impulsividade. Ai, e haja Guru Astral para aconselhar. Tudo bem. Você falou. Eu sei que não vale chorar pelo que já passou, mas também mais cuidado, né? Pelo amor do Universo. Tem coisas que não cabe a gente falar. Tem coisas que a outra pessoa tem que viver, olhar, cair na realidade para ver se para de ser besta.

Eu sei que você já está vendo o que vai acontecer faz tempo, mas e aí? Você vai falar para a pessoa, a pessoa vai dar a bronca, você vai se chatear, e talvez até a relação fique meio abalada e pronto. E sabe o pior? Se você adiantar, quando a pessoa passar por tudinho que ela tiver que passar para poder se ferrar, você acha mesmo que ela vai parar tudo, vai descer do ônibus, vai pedir para o diretor focalizar a câmera no rosto dela, vai olhar para o chão fingindo arrependimento e pedir desculpas, ou então dizer que você teve razão?

Voltando ao assunto, ela não vai chegar e reconhecer que você disse uma coisa que estava mais do que certa. Ela vai ficar na encolha, e aí você vai fazer o quê mesmo? Ficar na sua também? Não. Você vai falar aquela frase RIDÍCULA, mas que eu sei que você adora repetir para jogar na cara dos outros: “Eu avisei.” Aí pronto. Vem mais guerra, e eu não tenho mais PACIÊNCIA PARA ESSE POVO. A gente avisa, mas nunca escutam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar